BLOG





Maio Vermelho – Como se prevenir contra a Hepatite?

A Hepatite é um problema de saúde pública muito grave no Brasil e no mundo. É uma doença que atinge milhares de pessoas, contudo muitas ainda não sabem quais são os seus sintomas, causas, meios de transmissão, métodos de prevenção e tratamento. Por isso, fizemos esse artigo para que você saiba tudo o que precisa sobre a Hepatite e possa se prevenir.

 

O que é a Hepatite?

A Hepatite é uma infecção que inflama o fígado, causando leves, moderadas e até mesmo graves alterações no órgão. Causada por vírus e/ou uso de determinadas substâncias em excesso, essa doença começa a atuar no organismo poucos dias após o contato da pessoa com o vírus.

Contudo, na maioria das vezes se apresenta de forma silenciosa, ou seja, sem a presença de sintomas visíveis, por isso existem muitos casos em que os infectados demoram para perceber a doença.

Quando a Hepatite se manifesta é comum que apresente sintomas como: cor amarelada na pele e na parte branca dos olhos, urina escura, fezes claras, cansaço, febre, tontura, mal-estar, enjoos, vômitos e dores abdominais.

Existem diversos tipos de Hepatite no mundo, porém os tipos mais comuns no Brasil são as Hepatites A, B e C. Claro, ainda assim, mesmo raros, existem casos dos outros tipos, como a D e a E, no país.

 

A importância da campanha Maio Vermelho

A campanha Maio Vermelho foi criada com o objetivo de alertar toda a população, sobre os perigos que a Hepatite pode trazer a vida e conscientizar sobre a importância da sua prevenção.

Por ser uma doença muitas vezes silenciosa, apresentando sintomas apenas quando alcança um estágio avançado, o diagnóstico precoce é o maior aliado no combate da Hepatite.

De acordo com o Ministério da Saúde, mais de 500 mil pessoas convivem com o vírus da Hepatite C e ainda não tem conhecimento disso. Mas o levantamento também mostra que houve uma redução de 7% no número de casos notificados no país.

 

O desenvolvimento da Hepatite no organismo

Frequentemente as Hepatites dos tipos B e C se tornam doenças crônicas por não apresentarem sintomas, assim grande parte dos infectados não sabem que estão contaminados e passam anos sem o devido diagnóstico e consequentemente tratamento, permitindo com que a doença evolua por anos e até mesmo décadas em seu corpo.

Conforme avança, a infecção compromete muito o funcionamento do fígado, causando fibrose avançada ou cirrose, que podem causar o desenvolvimento de câncer, necessitando em casos mais graves, até mesmo o transplante do órgão.

Estima-se que esses dois tipos de Hepatites causem anualmente 1,4 milhões de mortes em todo o mundo, tanto por infecção aguda, câncer hepático ou cirrose associada as Hepatites.

 

Quais são os principais sintomas da Hepatite?

Como citamos acima, existem diversos tipos de Hepatite, por isso os sintomas podem variar de acordo com o tipo de vírus pelo qual a pessoa foi infectada.

Os sintomas geralmente se apresentem na fase aguda da doença, causando:

·      Dores de cabeça;

·      Dores e inchaços abdominais;

·      Mal-estar;

·      Cor amarelada na pele e na parte branca dos olhos;

·      Urina escura;

·      Fezes claras;

·      Enjoos;

·      Vômitos;

·      Emagrecimento repentino sem causa específica.

 

A Hepatite do tipo B, como já citamos, não costuma apresentar sintomas, evoluindo lentamente e silenciosamente pelo organismo.

Nos poucos casos em que esse tipo de Hepatite apresenta sintomas nos infectados, estes são:

·      Febre alta;

·      Cor amarelada na pele e na parte branca dos olhos;

·      Mal-estar recorrente;

·      Falta de apetite.

Na grande maioria dos casos, o paciente infectado com Hepatite B, quando diagnosticado, pode ser curado. Diferente dos pacientes com Hepatite tipo C, que devem percorrer uma longa caminhada no tratamento da doença.

 

Quais são as causas da Hepatite?

A Hepatite pode ser causada por:

·      Infecção com o Vírus das Hepatites A, B, C, D, E ou G;

·      Infecção com bactérias ou parasitas causadores da Hepatite;

·      Uso excessivo e não controlado de determinados medicamentos;

·      Consumo excessivo de bebidas alcoólicas.

Além disso, a Hepatite pode ser causada em pessoas que possuem algumas doenças específicas como: Lúpus, Fibrose Cística, Anemia Hemolítica e doenças inflamatórias intestinais.

 

Como a Hepatite é transmitida?

A Hepatite pode ser transmitida de diversas formas, as mais comuns são:

·      Contato com sangue contaminado;

·      Contato com urina ou fezes de alguém contaminado;

·      Beber água ou consumir alimentos contaminados por fezes;

·      Compartilhar seringas;

·      Ter relações sexuais sem o uso de preservativos;

·      Transfusão de sangue;

·      De mãe para filho através do parto normal;

Algumas dessas formas de transmissão das Hepatites eram mais comuns antigamente, quando a medicina não contava com tantas tecnologias e exames diferenciados. Este é caso das duas últimas da lista: Transfusão de sangue; de mãe para filho através do parto normal. Também é possível que a doença seja desenvolvida em gestantes que não seguem o pré-natal corretamente.

 

Quais são os métodos de prevenção da Hepatite?

A Hepatite é uma doença séria e todos os tipos podem causar consequências drásticas, por isso é essencial tomar os devidos cuidados para se prevenir.

Para te ajudar, listamos quais são os principais métodos de prevenção das Hepatites A, B e C. Confira.

 

Métodos de prevenção da Hepatite A

Como citamos acima, uma das formas de transmissão da Hepatite A é através da ingestão de bebidas e alimentos contaminados pelo vírus. É comum que áreas que não possuam saneamento básico sejam altamente afetadas pela doença, uma vez que as fezes podem contaminar rios e até mesmo plantações das quais são retirados os alimentos de famílias.

Os principais métodos de prevenção da Hepatite A são:

·      Tomar a vacina contra a Hepatite A;

·      Adotar bons hábitos de higiene, como por exemplo, sempre lavar as mãos antes de comer;

·      Beber água potável;

·      Evitar o consumo de alimentos crus;

·      Higienizar os alimentos corretamente antes do consumo;

·      Optar por alimentos cozidos, uma vez que, dessa forma os vírus são eliminados;

·      Evitar o consumo e ingestão de bebidas e alimentos preparados em más condições de higiene.

 

Métodos de prevenção das Hepatites B e C

As Hepatites do tipo B e C podem ser transmitidas através do contato com sangue ou secreções de pessoas infectadas por um dos dois vírus.

Os principais métodos de prevenção das Hepatite B e C são:

·      Tomar a vacina da Hepatite B;

·      Usar preservativo em todas as relações sexuais;

·      Não compartilhar objetos de uso pessoal, como lâminas de barbear, objetos de manicure, etc;

·      Utilizar luvas descartáveis ao tratar as feridas ou socorrer alguém em situações onde há sangramento;

·      Exigir material descartável novo ao realizar procedimentos, como tatuagens, piercings, brincos, acupuntura, etc.

 

Importante:

Como o tipo C ainda não possui vacina, a melhor forma de prevenção mesmo é evitar o contato com o sangue contaminado. A Hepatite tipo C tem cura em mais de 90% dos casos quando o tratamento é seguido corretamente. 

E quanto a Hepatite D, é um tipo que está ligada com a infecção e inflamação de tecidos do fígado a partir do vírus B, assim tomar a vacina contra a Hepatite B é uma forma de prevenção mais adequada.

As vacinas para os tipos A e B podem ser tomadas isoladas ou inclusive podem ser combinadas.

 

Como é diagnosticada a Hepatite?

A Hepatite pode ser diagnosticada através da observação do paciente infectado e por meio de exames sorológicos de sangue. Alguns dos mais utilizados para isso, são:

 

1 – Hepatograma

Consiste em uma série de exames de sangue, capaz de definir qual o grau de inflamação do fígado, através de marcadores da função hepática, como bilirrubinas, fosfatase alcalina, aminotransferases, albumina e tempo de protrombina. Todas essas substâncias analisadas são capazes de identificar o estado de funcionamento do fígado.

 

2 – ALT

O teste de ALT tem como objetivo detectar lesões hepáticas. Nesse exame, é possível identificar a dosagem da atividade da enzima alanina aminotransferase (ALT). Esses valores são comparados aos de outras enzimas, como a fosfatase alcalina (ALP) e aspartato aminotransferase (AST). Através dessa comparação é possível identificar que tipo de doença hepática está presente no organismo.

 

3 – AST

O teste de AST, funciona da mesma forma que o ALT. Neste é possível identificar a dosagem da atividade da enzima aspartato-aminotransferase (AST). Esses valores são comparados aos de outras enzimas, como a fosfatase alcalina (ALP) e alanina aminotransferase (ALT). Através dessa comparação é possível identificar que tipo de doença hepática está presente no organismo.

 

4 – Bilirrubina

Nesse exame, é realizada a dosagem da bilirrubina (substância produzida quando o fígado decompõe glóbulos vermelhos velhos). A partir desses valores é possível avaliar o excesso desse componente no sangue, avaliando assim o funcionamento do fígado.

 

Ainda existem diversos outros exames que podem ser realizados para a identificação da Hepatite. O médico por exemplo, pode solicitar uma ultrassonografia para avaliar aspectos do fígado, como: tamanho, obstrução ou se há presença de tumores no órgão.

 

Como é o tratamento da Hepatite?

Normalmente a Hepatite é tratada através de muito repouso, hidratação e com uma alimentação saudável e equilibrada. Contudo, em alguns casos específicos, o médico pode prescrever alguns tipos de medicamentos.

Em casos nos quais é necessário o uso de medicamentos no tratamento da Hepatite, é comum que os pacientes sintam efeitos colaterais causados pelos remédios, como:

·      Febre;

·      Dores de cabeça;

·      Insônia;

·      Alta irritabilidade.

Esses efeitos, muitas vezes fazem com que pacientes abandonem o tratamento da doença, comprometendo ainda mais o caso. Entretanto, mesmo com todos os incômodos causados pelos medicamentos, com o decorrer do tratamento eles acabam diminuindo. Outros medicamentos também podem ser utilizados para amenizar esses efeitos, como analgésicos, antidepressivos e/ou anti-inflamatórios.

 

A Hepatite é uma doença séria, que em casos nos quais o infectado não é devidamente tratado pode levar a morte. Cuide-se, adote todas os métodos de prevenção no seu dia a dia e poupe você e as pessoas ao seu redor de se infectarem com essa perigosa doença.

Quer fazer exames com segurança e eficácia? Conte com o Laboratório Exame. Agende ligando pelo telefone (18) 3622-0011 ou através do WhatsApp (18) 98119-3963.

 

Gostou do nosso conteúdo? Acesse nosso blog e descubra muitos outros superinteressantes. Aproveite e acompanhe nossas redes sociais para mais dicas: Instagram: @labexamearacatuba e Facebook: www.facebook.com/examearacatuba

LEIA TAMBEM

Abril Azul: Mês de Conscientização do Autismo

O mês de abril foi escolhido pela ONU (Organização das Nações Unidas) em 2007 para representar a força da campanha Abril Azul, que tem como objetivo informar, prevenir, orientar, acabar com o preconceito e conscientizar sobre o Autismo.

O Autismo aliás, é um transtorno que ainda gera muitas dúvidas e é sobre ele que vamos falar nesse artigo, seus sinais, sintomas, graus, diagnóstico e sua campanha de apoio, continue a leitura e confira!

O que é Autismo?


O Transtorno do Espectro Autista (TEA), conhecido como Autismo, é um transtorno do desenvolvimento neurológico, que tem como característica déficit na comunicação social, comportamento e habilidades cognitivas. Mas os portadores do espectro autista podem se destacar em habilidades com números, visuais, de música e arte.

O espetro pode estar ligado com a deficiência intelectual, dificuldade de atenção, na coordenação motora, inclusive problemas com sono e gastrointestinais. Pode ocorrer ainda o desenvolvimento de outros transtornos, como o Transtorno do Déficit de Atenção (TDA) ou o Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), dislexia ou dispraxia. No período da adolescência ocorrem casos de desenvolver ansiedade e depressão.

É importante dizer que o Autismo não é uma doença e que o diagnóstico desse transtorno geralmente acontece a partir de sinais. O Autismo se inicia durante a gravidez, mas só é diagnosticado nos primeiros três a cinco anos de vida, período que os pais, responsáveis e educadores precisam inclusive ficar atentos. 

O diagnóstico ainda não é possível através de testes de laboratório e nem sempre é fácil ser detectado, sendo realmente identificado de acordo com a observação do comportamento, linguagem e interação social atestadas através de avaliação médica, mas é claro muito importante a atenção dos pais e professores.

A confirmação do diagnóstico em crianças ou adolescentes deve ser realizado por uma equipe médica multidisciplinar, que inclui pediatra, psicólogo, psiquiatra, fonoaudiólogo e neuropsicólogo, isso a partir de informações e realização de alguns testes, como os auditivos. Em adultos o diagnóstico é mais difícil, devido à similaridade com outros transtornos, como a ansiedade.

Segundo a ONU (Organização das Nações Unidas) os portadores de Autismo correspondem há 1% da população mundial, sendo mais de 70 milhões de pessoas. No Brasil a estimativa é que existam cerca de 2 milhões.

Mesmo diante de estudos, a ciência ainda não conseguiu definir a causa exata para o Autismo, no entanto há evidências de que está relacionada à questões genéticas: desordens metabólicas, infecções virais (infecções durante a gravidez), lesões na formação do cérebro, complicações no parto ou gravidez e fatores ambientais, por exemplo.

Não há cura para o Autismo, afinal como já dito acima não é uma doença, é uma condição relacionada ao desenvolvimento do cérebro, afetando a maneira como a pessoa percebe e se socializa com o mundo.

O Autismo é dividido em 3 categorias, são variações com níveis de gravidade, ou seja, graus de funcionalidade.

  • Graus de Autismo

Grau/ Nível 1 - Leve

Neste nível a pessoa é mais funcional, no entanto apresenta dificuldades para interagir, dificuldade de iniciar relações sociais, problemas de organização e planejamento que podem prejudicar sua independência. O comportamento inflexível acaba dificultando as atividades cotidianas.

Grau/ Nível 2 - Moderado

As pessoas neste nível apresentam um quadro um pouco mais grave, com habilidades sociais limitadas, dificuldade nas relações sociais, dificuldade acentuada na comunicação verbal e não verbal. São mais inflexíveis em seus comportamentos, apresentando resistência à mudança, comportamentos restritivos e repetitivos mais frequentes e evidentes, com dificuldade de mudar o foco das ações.

Grau/ Nível 3 - Severo

Este é um nível mais grave, no qual as pessoas com Autismo apresentam um grau mais severo em relação à comunicação verbal e não verbal. Também apresentam dificuldades perceptíveis para iniciar interação social e acentuada dificuldade de funcionamento, com capacidade cognitiva prejudicada. Apresentam tendência ao isolamento e podem demonstrar comportamentos inflexíveis. 

  • Símbolos

Os símbolos do Autismo são imagens criadas para representar a diversidade, além de gerar identificação, inclusão, conscientização e acabar com o preconceito.

Quebra-cabeça: foi o primeiro símbolo criado em 1963, por Gerald Gasson, que era membro da National Autistic Society e era pai de uma criança autista. O símbolo era composto por uma peça de quebra-cabeça desencaixada com a imagem de uma criança chorando. A figura tinha o propósito de indicar como uma pessoa autista sofre e não consegue se encaixar na sociedade. Nessa época esse era o conceito e o Autismo era considerado uma deficiência mental.

No entanto com o passar do tempo, o símbolo foi reformulado e substituído, sendo representado por 4 peças de quebra-cabeça coloridas e encaixadas, visando evidenciar a complexidade do autismo e seus diferentes espectros. Esse símbolo também não foi muito aceito, pois ao invés de tornar-se uma tentativa de conscientização era mais visto como uma evidência de dificuldade para entendê-los. Apesar de ser considerado um símbolo que traz mais prejuízos à causa, é também um dos mais conhecidos e usados para apoiar e representar o TEA. 

Fita de quebra-cabeça: criado em 1999, ficou conhecido mundialmente como a fita da conscientização ou fita do Autismo.

A fita é composta por peças de quebra-cabeça com cores diferentes, representando a diversidade de pessoas e famílias que convivem com o Autismo e as cores vivas representam a esperança de acolhimento e tratamentos.

Esse é o símbolo da Sociedade do Autismo e é o mais usado para representar o TEA.

Logo Neurodiversidade: esse símbolo em formato de infinito colorido, é utilizado como alternativa ao da fita com quebra-cabeça, ele também é usado para representar as dificuldades e habilidades do espectro autista. 

Foi criado pelos próprios autistas, é usado pelo movimento da Neurodiversidade e é o mais aceito pela comunidade autista.

  • Lei no Brasil

Em 2014 foi regulamentada pelo Decreto 8.368 a “Lei Berenice Piana” – Lei 12.764 de 2012, criando a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno de Espectro do Autismo. Essa lei foi criada com objetivo de certificar o direito dos autistas ao diagnóstico precoce, tratamento, terapias e medicamentos, também acesso à educação e igualdade nas oportunidades de trabalho.

Já em 2020 o Presidente da República Jair Bolsonaro sancionou vetos a Lei 13.977, que cria a Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista. A sanção foi publicada no Diário Oficial da União e a norma foi batizada como Lei Romeu Mion, filho do apresentador de TV Marcos Mion, que tem o espectro autista.

  • Causas e Sinais 


As causas do Autismo ainda não são conhecidas pela ciência, no entanto acredita-se que na maioria dos casos a origem seja genética, hereditárias e até devido a fatores ambientais.

Quanto aos sinais, eles podem surgir nos primeiros meses de vida, mas podem variar de pessoa para pessoa. Os sinais comuns são:

  • Não manter contato visual;
  • Demorar para falar as primeiras palavras, engatinhar e andar;
  • Dificuldade de ficar em lugares barulhentos;
  • Dificuldade de comunicação verbal e não verbal;
  • Seletividade alimentar;
  • Não atender quando chamado pelo nome;
  • Dificuldade de socializar com outras crianças;
  • Hábito de alinhar objetos;
  • Ser muito preso à rotinas a ponto de entrar em crise;
  • Brincar com brinquedos de forma não convencional;
  • Fazer movimentos e comportamentos repetitivos sem função aparente;
  • Não falar ou não fazer gestos para mostrar algo;
  • Repetir frases ou palavras em momentos inadequados;
  • Não compartilhar seus interesses e atenção, apontando para algo ou não olhar quando apontamos algo;
  • Girar objetos sem uma função aparente;
  • Interesse restrito ou hiperfoco;
  • Não imitar;
  • Não brincar de faz-de-conta;
  • Hipersensibilidade ou hiper-reatividade sensorial.

Muitas vezes o Autismo pode ser confundido com desatenção ou timidez, por isso o ideal é procurar ajuda médica para uma avaliação e a indicação do tratamento mais adequado.

  • Diagnóstico e Tratamento


O diagnóstico do Autismo deve ser realizado por um médico, analisando histórico do paciente, de seu comportamento e relatos dos pais, pois ainda não há como descobri-lo através de exames laboratoriais ou de imagem. Os médicos geralmente usam também: o Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais ou a Classificação Internacional de Doenças da Organização Mundial da Saúde.

O tratamento deve ser realizado com ajuda de profissionais como: médicos, psicólogos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas e pedagogos, para que assim o portador do espectro autista tenha evoluções, conseguindo desempenhar tarefas comuns do dia a dia sem dificuldades.

Tratamentos psicossociais são muito importantes para o desenvolvimento das crianças com Autismo e há casos em que devido a maior agressividade e doenças paralelas, como o transtorno bipolar ou a depressão, seja necessário incluir medicamentos.

O transtorno de espectro autista ainda não tem cura, mas tem tratamento, com ajuda de medicamentos que podem ajudar e minimizar os sinais.

A Campanha Abril Azul


Abril não foi um mês escolhido por acaso para a campanha Abril Azul, que é sinônimo de prevenção e conscientização sobre o Autismo, pois 2 de Abril foi a data escolhida pela ONU, como o Dia Mundial de Conscientização do Autismo.

Por que azul?


A cor azul determinada para a campanha também tem um significado, a questão é que a condição ocorre mais em meninos, sendo uma proporção de 4 meninos para cada 1 menina. Essa é uma constatação da ciência, mas ainda não há respostas para esse fenômeno.

Gostou desse artigo? Compartilhe com a família e amigos e ajude nesse processo de conscientização e humanização sobre o assunto. É preciso acabar com o preconceito contra o Autismo.

Fique de olho aqui no nosso blog e acompanhe mais conteúdos informativos e interessantes como esse.

Aproveite e acompanhe nossas redes sociais para mais dicas: Instagram e Facebook


Laboratório Exame: 25 anos de tradição e cuidado com sua saúde

Quando se fala em saúde é de extrema importância ter profissionais de confiança, credibilidade e eficiência. O cuidado com a saúde é essencial para a real qualidade de vida, por isso quando for realizar seus exames laboratoriais é imprescindível contar com um laboratório com autoridade e certificação de qualidade.

O Laboratório Exame comemora 25 anos de excelência em 2022, aproveite e saiba mais sobre nossa história

O Laboratório Exame


Desde 1997 o Laboratório Exame iniciou sua história em Araçatuba, levando mais qualidade no atendimento e na realização de diagnósticos.

O Laboratório Exame conta com: 

  • A estrutura - uma unidade moderna, com instalações amplas projetadas para proporcionar o maior conforto aos clientes.
  • Tecnologia – utiliza diversos recursos tecnológicos, que executam de forma integrada mais de 1000 tipos diferentes de testes diagnósticos.
  • Os Profissionais – conta com uma equipe de profissionais preparados, especialistas, formados, treinados e em constante aperfeiçoamento. Biomédicos, Farmacêutico Bioquímicos, Bioquímicos, entre outros. 
  • Os Exames – possui uma lista extensa de exames, inclusive de alta complexidade, entre eles se destacam os de: alergia, bioquímica, doenças infecciosas, imunologia, parasitologia, hematologia, bacteriologia, hormônios, marcadores tumorais, uroanálise, entre outros.

Confira a lista completa no link: Exames.

  • Convênios e Planos de Saúde Aceitos – Unimed, Cassi, Grupo Laluce, Mult saúde, Santa Casa Saúde Araçatuba, SulaAmérica, Cardassi, Premier Saúde & Saúde Familiar, Amil, Medical Saúde Familiar, APAS, Bradesco Saúde, Bradesco Seguros, Cabesp, Cassi, Mediservice, Fundação Assefaz, Abrampeme, Alcance saúde dental e Central Card.
  • Qualidade e segurança no atendimento - ambiente sempre higienizado, respeitando todas as normas de saúde, além de atendimento amigável e ágil.
  • Certificação – além dos rigorosos controles de qualidade interna e externa, destaca-se com o Certificado de Qualidade pela Sociedade Brasileira de Patologia Clínica (SBPC).
  • Agilidade e eficiência nos resultados – para alguns exames específicos, os resultados ficam prontos em até 2 horas, como os testes de COVID-19, Influenza e Gravidez por exemplo. Outros variam de acordo com sua complexidade, variando de 4 horas, 24 horas, 7 a 15 dias.

Os resultados podem ser retirados no laboratório ou podem ser acessados diretamente no site, podendo ser inclusive impressos. 

  • Agendamento e Coleta Móvel – o agendamento pode ser realizado pelo telefone ou WhatsApp, assim como o agendamento para Coleta Móvel, em que uma equipe vai até a casa do cliente, com dia e hora marcados para realizar a coleta com toda segurança.
  • Site e WhatsApp – site completo com informações sobre os exames, dúvidas comuns sobre exames e blog com assuntos, além de contato. O WhatsApp além de ser usado para agendamento, também é um canal usado para interação e solução de dúvidas.

Laboratório Exame 25 anos


O Laboratório Exame completa seus 25 anos dedicados à realizar o melhor trabalho para o cuidado da sua saúde, atendendo Araçatuba e região.

25 anos são uma vida e de vida a gente entende! 

Conte com o Laboratório Exame para realizar seus exames com toda segurança, confiança e eficiência.

Estamos localizados na Rua Floriano Peixoto, 817 - Araçatuba/SP.

WhatsApp: (18) 98119-3963

Telefone: (18) 3622-0011

Aproveite e acompanhe nossas redes sociais para conferir dicas e conteúdo interessantes: Instagram e Facebook


Qual deve ser o tempo do jejum e os cuidados para fazer exame de sangue?

Exames de sangue são essenciais no cuidado da saúde, pois através deles é possível detectar infecções e várias doenças, como a Anemia, além disso é um dos principais exames presentes na lista de Check-up, solicitados pelos médicos.

Mas na hora de realizar o exame de sangue, sempre surgem algumas dúvidas muito comuns, como: se é necessário realizar o exame de sangue em jejum, em quantas horas e quais outros cuidados. Então para descobrir, continue a leitura e confira!

Tipos de Exame de Sangue e o tempo de Jejum

Existem vários tipos de exame de sangue e cada um possui suas exigências, com tempo determinado de jejum antes da sua coleta, no entanto para alguns exames há recomendação médica em que especificam o período de jejum.

A prática do jejum evita que algumas substâncias, devido a ingestão de alimentos, interfira, altere e comprometa os resultados, tendo assim a chamada padronização do sangue.

Confira:

Jejum de 12 horas

• Triglicerídeos.

Jejum de 8 horas

• Ferro (FE);

• Glicemia – 8 a 10 horas para adultos e 3 horas para crianças.

Sem jejum

• Coagulograma;

• Hemograma;

• Hormônio Tireoestimulante (TSH) - (não é obrigatório, mas o médico pode recomendar jejum de 3 horas);

• Transaminase Glutâmico Pirúvica (GPT);

• Transaminase Glutâmico Oxalacética (GOT);

• Creatina, soro (CREAT) - (não é obrigatório, mas o médico pode recomendar jejum de 3 horas para avaliar a função dos rins);

• Ureia, soro;

• Gama Glutamiltransferase (GAMGT);

• Ácido Úrico (ACUR);

• Potássio (K);

• Sódio (NA);

• Ferritina (FERRIT);

• Creatinoquinase (CK), total, soro (CPK);

• T4, livre (T4L);

• Hormônio Folículo Estimulante (FSH);

• Hormônio Luteinizante (LH);

• T3;

• T4;

• Tireoide, anticorpos (AATIRO);

• Estradiol (E2);

• Hormônio Luteinizante (LH);

• Colesterol total e frações – (não é obrigatório, mas o médico pode recomendar jejum de 12 horas);

• Paratormônio (molécula intacta), soro (HPTH);

• PSA (Antígeno Prostático Específico) - (não é obrigatório, mas o médico pode recomendar jejum de 4 horas);

• Cálcio Ionizado (CAION).

Importante: Em qualquer exame, nunca ultrapassar as 14 horas de jejum, pois depois desse período o organismo acaba usando suas reservas, queimando gordura e proteína e isso altera os resultados, além de ser prejudicial à saúde.

Dicas e outros cuidados antes de fazer o exame de sangue

Além da necessidade de jejum em alguns exames, também existem algumas dicas e cuidados, os quais são necessários para resultados efetivos e sem interferências. São eles:

• Período da Tarde – Os exames não precisam ser feitos pela manhã, mas a maioria das pessoas prefere passar o período de jejum dormindo, por isso a maioria realiza os exames de manhã. Mas os exames também podem ser realizados à tarde, inclusive alguns exames de sangue, que não exigem jejum ou poucas horas de jejum. 

Há casos de exames que precisam de horário específico, por isso atenção. É o caso do exame de dosagem de ferro, que deve ser realizado até às 10 horas da manhã e o de Cortisol e ACTH devem ser entre às 7 e 9 horas da manhã. O motivo é que algumas substâncias sofrem variação ao longo do dia e seu nível máximo é pela manhã.

• Água – beber água não interfere nos resultados de exames de sangue, mas sem exageros.

• Bebidas alcoólicas – o recomendado é não beber 3 dias antes da coleta do exame, principalmente diante dos exames de Triglicérides e Colesterol, pois pode alterar os resultados. Além das alcoólicas, outras bebidas também devem ser evitadas, como refrigerantes e chás.

• Tabagismo – Não fumar no dia do exame, pois se o teste envolver agregação plaquetária, curva glicêmica ou exame ergométrico, pode alterar os resultados.

• Para o Exame PSA – Deve ser evitado atividade sexual nos 3 dias anteriores ao exame, assim como andar de bicicleta e tomar alguns medicamentos, pois podem aumentar os níveis de PSA.

• Medicamentos – Alguns medicamentos, como antibióticos, anti-inflamatórios influenciam os resultados do exame de sangue, por isso nesses casos é importante dizer ao médico sobre o uso, para que ele oriente sobre a suspensão ou para que sejam considerados na hora da análise.

No caso de medicação contínua não é recomendado a suspensão, mas também deve ser dito ao médico para orientação e somente ele poderá indicar o melhor a fazer.

• Exercícios Físicos – Alguns tipos de exercícios, assim como algum esforço físico podem sim interferir no resultado de exames, por exemplo o de Glicemia e dosagem de fator VIII de coagulação. O ideal é seguir sempre a orientação médica.

• Para Crianças e Gestantes – No caso de exames de sangue em crianças de até 6 anos é dispensado longos períodos de jejum e a coleta pode ser realizada no período mais próximo ao da alimentação seguinte.

Já sabemos que alguns exames de sangue não necessitam de jejum, conforme citado acima e no caso de crianças o exame mais realizado é o Hemograma, que não exige jejum.

E no caso das gestantes, elas devem seguir as mesmas orientações recomendadas para cada tipo de exame, mas claro com acompanhamento médico.

Mitos e Verdades

É comum ouvirmos informações sobre a realização de exames que acabam provocando dúvidas, já outras nos surpreendem, são os famosos mitos e verdades.

Confira abaixo:

Mitos

• Não realizar exames de sangue quando estiver gripado ou resfriado.

• É preciso parar a amamentação dos bebês para realizar os exames.

• É necessário ter uma dieta mais saudável na semana que realizará o exame.

Verdades

• Realizar exame de sangue durante o período menstrual interfere nos resultados.

• É importante dormir bem na noite anterior ao exame.

• Fazer exame de imagem antes da coleta de sangue não é permitido, devido a necessidade do uso de contraste em alguns casos, o indicado é após 72 horas.

 

Diante dessas dicas e esclarecimentos fica claro, que é muito importante seguir as recomendações para que os resultados dos exames de sangue não sofram nenhuma alteração.

Onde fazer seus Exames de Sangue em Araçatuba?

Se você é de Araçatuba ou região e precisa realizar exames laboratoriais, o Laboratório Exame é a solução! 

Contamos com uma equipe de biomédicos especializados, prontos para entregar resultados eficientes com agilidade e muita segurança. 

 Entre em contato e agende já seus exames, inclusive Check-ups! 

Gostou do nosso conteúdo? Fique de olho em nosso blog. 

Aproveite e acompanhe nossas redes sociais para mais dicas: Instagram e Facebook

Fale conosco ligando no telefone (18) 3622-0011 ou através do WhatsApp (18) 98119-3963.